quinta-feira, 13 de junho de 2013

Quando Estou Contigo (Beth Kery)

Ao entrar, numa noite, no seu restaurante na Noble Tower, Lucien Lenault ouve vozes e descobre o seu chef em plena tentativa de sedução da sua futura estagiária. Mas não é esse o facto mais chocante. É que a dita estagiária é Elise Martin, uma ligação do passado que escolheu esquecer. Elise conhece alguns dos seus segredos e pode, talvez, comprometer o seu principal objectivo. Mas a atracção que, em tempos, ela lhe despertara permanece exactamente igual - assim como o seu temperamento impulsivo. Lucien só encontra uma forma de a controlar e de, ao mesmo tempo, responder aos seus instintos. A proposta que faz a Elise é a de uma relação capaz de satisfazer o desejo de ambos, bem como a sua necessidade de controlo. O problema é que, entre o ímpeto de Elise e a fúria dos seus próprios desejos, a relação não tardará a tornar-se mais intensa... e mais profunda.
Não é propriamente uma surpresa - ou pelo menos não o será para quem tiver lido o livro anterior - que a premissa deste livro seja baseada no erotismo e na sensualidade, sendo estes elementos a dominar grande parte do enredo. A relação entre os protagonistas vai sendo definida por entre o desenrolar de experiências sexuais e, por isso, a descrição mais ou menos elaborada desses momentos ocupará uma parte central ao longo de toda a narrativa.
Mas nem só de erotismo vive a história. Há também uma boa medida de mistério, quer no passado dos protagonistas, quer relativamente a algumas das suas escolhas presentes, sem esquecer ainda a intervenção - e a evolução - dos protagonistas do primeiro livro.  Curiosamente, acaba por ser nesses elementos complementares que se revela o mais interessante desta história. É nas ligações mais emocionais, bem como nas sombras do passado, que reside o traçado da personalidade das personagens e, na caracterização das suas vidas para lá da relação central, a autora torna-as mais completas e mais interessantes. Além disso, o mistério em torno dos planos de Lucien e da sua relação com Ian é parte do que mantém a envolvência da história, já que é quase inevitável a curiosidade em saber quais são, afinal, os segredos que Lucien oculta.
Mesmo estando o foco do enredo em Lucien e Elise, a história de Ian e Francesca continua muito presente. E aqui surge um novo aspecto interessante, já que as grandes revelações deste livro influenciam - e despertam uma evolução - tanto no casal protagonista como na vida de Ian, e, inevitavelmente, também na de Francesca. Revelações que apresentam algumas respostas, mas que trazem também novas perguntas, evocando interessantes possibilidades quanto ao que poderá suceder no livro que se seguirá.
Este é, pois, um livro envolvente, centrado, em certa medida, na ligação entre as personagens e na forma como esta se desenvolve, a nível físico, mas que se torna algo mais com o acréscimo das medidas certas de mistério e emoção. Uma leitura agradável e cativante, portanto. Gostei.

Sem comentários:

Publicar um comentário