segunda-feira, 13 de maio de 2013

Destinos Interrompidos (Lissa Price)

Callie tem dezasseis anos e é uma menor não reclamada. No mundo em que vive, onde milhares foram dizimados pela Guerra dos Esporos e a população se divide entre Terminantes (idosos) e Iniciantes (menores), isso significa viver em casas abandonadas, com a comida e a água que conseguirem encontrar e em fuga permanente. Mas Callie não está sozinha. Tem a seu cargo o irmão doente e precisa de obter dinheiro para que ele possa ser convenientemente tratado. A única forma de o conseguir parece ser a Destinos Primordiais, empresa que aluga corpos adolescentes a Terminantes que querem viver novas aventuras. Tudo altamente confidencial e misterioso. Ainda assim, Callie não tem alternativa e acaba por aceitar. Mas o que começa por correr bem revela contornos bem sombrios a partir do momento em que o plano da sua locatária começa a interferir com o sistema... e com a serena inconsciência em que Callie deveria ter permanecido.
Intrigante desde o início e rico em acção e mistério, este é um livro que facilmente se torna viciante. A história, contada do ponto de vista de Callie, situa-se num futuro algo distante e, por isso, num sistema diferente, cujos contornos são apresentados de forma algo ambígua (até porque, ao apresentar o contexto da perspectiva da protagonista, há, inevitavelmente, pormenores que esta não pode conhecer), mas com todos os elementos essenciais para dar à história uma boa base. O secretismo da Destinos Primordiais e o que nela é feito, as regras instituídas depois da guerra e o funcionamento das instituições são aspectos que, mesmo não sendo desenvolvidos ao pormenor, criam um bom contexto para os movimentos de Callie. Além disso, toda a situação evoca a sempre interessante questão das ligações entre riqueza e poder e de onde se traçam os limites do que é tolerável em nome da ambição.
Mas, se o contexto é interessante, o centro da história é, claro, a protagonista. Callie surge como uma jovem forte, mas com as suas vulnerabilidades, que é colocada perante escolhas difíceis e, ao mesmo tempo, numa corrida pela sobrevivência. A acção, ocupa, por isso, grande parte do enredo, ainda que também os momentos emotivos e a intriga associada às intenções da Destinos Primordiais contribuam para tornar a leitura cativante. O mais interessante, ainda assim, está na forma como, apesar de todas as mudanças ao longo da história, os momentos mais fortes acabam de surgir das situações mais inesperadas. O mistério do Velho, por exemplo, além de deixar em aberto muitas possibilidades para o que se seguirá, cria alguns momentos particularmente intensos, sendo dele que resulta grande parte do impacto final.
Tudo é visto do ponto de vista de Callie, pelo que as restantes personagens têm, inevitavelmente, uma caracterização menos desenvolvida. Há, ainda assim, quanto baste para as conhecer, e figuras como Helena, Tyler e, claro, o Velho, conseguem despertar sentimentos fortes, até pela forma como influenciam a protagonista e a forma como, a cada revelação, a sua perspectiva se altera.
Viciante e intrigante, este é, portanto, um livro que cativa e surpreende, tanto pelo percurso da protagonista como por certos traços do sistema, que abrem caminho para um enredo rico em acção e mistério, mas com o toque certo de emoção. Uma óptima estreia, em suma. Muito bom.

Sem comentários:

Publicar um comentário