quarta-feira, 17 de abril de 2019

The Angel's Mark (S. W. Perry)

1590. O controlo de Isabel I sobre o seu reino depende muito de controlar a ameaça papista, o que é uma desculpa bastante conveniente para que lordes e nobres possam livrar-se dos seus inimigos pessoais. Mas há outros planos sombrios em movimento. Tudo começa com o corpo de uma criança em cima de uma mesa de dissecação: uma criança que exibe uma marca muito estranha. E embora mais ninguém pareça importar-se, Nicholas Shelby, um físico que está também prestes a ser pai, sente-se intrigado e preocupado. A vida, porém, mete-se no seu caminho. Quando a esposa morre durante o parto, Nicholas perde-se de si mesmo. E é só ao ser salvo por uma mulher invulgar, e quando outro corpo é encontrado no rio, que Nicholas começa a recuperar a solidez da sua mente - e a traçar os seus planos para descobrir a verdade.
Provavelmente o aspecto mais impressionante deste livro é a forma como o autor consegue entrelaçar com toda a precisão as histórias pessoais das suas personagens com o delicado contexto político e religioso e também com o intrigante movimento de pequenas conspirações que envolvem algumas personagens históricas importantes. Parece haver muita coisa a acontecer ao longo de todo este livro, mas tudo parece encaixar na perfeição, o que resulta numa leitura muito cativante, apesar de todas as suas complexidades.
Também bastante impressionantes são as personagens em si. Principalmente Nicholas, claro, com os seus tormentos pessoais, as suas dúvidas, a situação delicada, que o põem numa posição difícel, mas que, mesmo assim, lhe permitem mostrar o melhor da sua natureza. Nicholas não é um homem perfeito, mas tem o coração no sítio certo. E os que o rodeiam são igualmente intrigantes: Bianca, com o seu passado delicado; Lumley, com a sua sede de conhecimento e a sua dívida insuportável; Robert Cecil e a sua tendência para alimentar rancores; e, claro, Kat Vaesy e Quigley, com as suas sombras e motivações.
O que me leva ao mistério propriamente dito: os corpos no rio e quem é o responsável. É, na verdade, muito interessante ver como toda a história parece girar à volta deste mistério, expandindo-se para outros assuntos para voltar sempre ao seu caminho central. Este enigma é o centro de todos os raios da história e, à medida que tudo converge para uma derradeira e totalmente inesperada conclusão, os seus vários elementos parecem encaixar perfeitamente no todo global. É, afinal, isto que torna esta leitura tão memorável: a forma como tudo encaixa na perfeição quando nada nem ninguém é perfeito.
Tudo se resume, então, a isto: uma inesperadamente impressionante história de mistério e de crime em tempos de intrigas e de heresia. Intenso, brilhantemente tecido e com um protagonista memorável, um livro para recordar e, sem dúvida, uma série a seguir.

Autor: S. W. Perry
Origem: Recebido para crítica

Sem comentários:

Publicar um comentário