terça-feira, 23 de abril de 2019

Um Fio de Sangue (Ann Yeti)

Joana apaixonou-se por ele assim que o viu, mas não sabe nada a seu respeito. Tomás vive na sombra de um desgosto passado e, por isso, encontra no sexo desenfreado a gratificação necessária, mas vê nela algo mais do que um encontro de uma noite. E por isso, quando finalmente se conhecem, nenhum deles está propriamente disposto a mergulhar de cabeça. Há, ainda assim, algo que os atrai e, por isso, sob condições específicas, acabam por partilhar algumas noites. Mas, quando a relação começa a aprofundar-se, também os fantasmas do passado vêm à tona... e o que podia ser um amor descomplicado transforma-se num jogo de sombras.
Centrado acima de tudo no romance, mas com um duo de protagonistas bastante complicado (e, no caso de Tomás, com um passado difícil), este é um livro que facilmente poderia ter sido mais extenso. É, aliás, este o único ponto negativo a sobressair da leitura: a ideia de que a história, principalmente no que diz respeito ao passado, podia ter sido um pouco mais aprofundada. Ainda assim, é interessante notar que, apesar de uma certa curiosidade em ver mais a fundo certas facetas da vida das personagens, não falta à história nada de essencial. O romance desenvolve-se de forma algo rápida, mas isso faz sentido tendo em conta a posição dos protagonistas. E, quanto ao resto... bem, o resto tem um equilíbrio surpreendente eficaz, com os momentos sensuais e a partilha de emoções a contrastarem vivamente com um final absolutamente inesperado.
Também na escrita este equilíbrio parece estar presente, havendo, apesar da relativa brevidade, espaço para momentos de introspecção por parte das personagens, para um ou outro rasgo de humor e, acima de tudo, para uma harmonia que vem não só da fluidez das palavras, mas principalmente do crescendo de intensidade que parece definir o ritmo da história.
E depois temos o título, que desde cedo dá a entender que a história não vai seguir o caminho linear que inicialmente imaginamos. O que tem, afinal, um fio de sangue a ver com uma história de descoberta do amor? Pois, essa pergunta sempre presente é também parte do que torna a leitura tão viciante, pois alimenta a curiosidade em saber mais. E quando a resposta chega... é, no mínimo, muito surpreendente.
Relativamente simples, mas cheio de emoção e de intensidade, trata-se, pois, de um livro que se lê de uma assentada, que surpreende em todos os momentos certos e que, com a sua mistura de amor arrebatado e de sombras passadas que persistem em regressar, cativa desde o início ao fim. Uma boa história, portanto, e um boa leitura.

Autora: Ann Yeti
Origem: Recebido para crítica

Sem comentários:

Publicar um comentário