sexta-feira, 8 de março de 2019

Despertar, Libertar, Crescer (Rossana Appolloni)

Pode não ser algo imediatamente evidente, mas as feridas da criança interior condicionam os comportamentos do adulto e é na aceitação e superação destas feridas que está o caminho do crescimento. É este o ponto de partida deste livro, que, analisando diferentes facetas do ser e da consciência, sugere um possível percurso de evolução através de uma análise muito própria e pessoal. Análise essa que é mais complexa - mas também mais pertinente - do que seria de prever.
Funcionando como uma espécie de livro de auto-ajuda, mas num registo bastante mais denso e complexo do que o habitual, uma das primeiras coisas a surpreender neste livro é a inesperada profundidade com que se debruça sobre as questões do condicionamento e da consciência. Isto faz com que seja uma leitura mais pausada, pois exige tempo para assimilar todas as ideias, mas curiosamente tem também o efeito de traçar um cenário mais amplo. Demora mais tempo a ler e a absorver, sim, mas, no fim, o conhecimento transmitido é também maior.
A contrapor a esta maior densidade, surgem rasgos de leveza: nos exercícios, que apelam à interacção, mas também nas histórias pessoais e nas imagens que tornam mais acessíveis os processos mais elaborados. Todos estes aspectos facilitam o ritmo de leitura sem cair na simplificação, expandindo as possibilidades de entendimento, e sintetizando alguns processos mais longos, mas sem esbater a ideia que transparece do todo: a mente é um todo complexo e, como tal, também a explicação dos seus processos tem de o ser. 
Há ainda um outro ponto que importa destacar. Às vezes, neste género de livros, verifica-se a tendência para adoptar um discurso demasiado simplista (é fácil fazer, só não faz quem não quer) ou demasiado autoritário (é-se infeliz por culpa própria). Não é o caso. Questões como a dor, os ressentimentos e outras emoções negativas são abordadas de forma bastante lúcida, aceitando a sua inevitabilidade e analisando mecanismos de superação, em vez de minimizar o impacto destas coisas na vida de cada um. Não é, pois, um livro que prometa mudanças de perspectiva milagrosa - mas é também isso que o torna mais realista. 
Fica, pois, uma impressão positiva, de um livro que leva o seu tempo a assimilar, mas com uma abordagem interessante e uma perspectiva bastante sólida do funcionamento de certos estados mentais. Complexo, mas cativante e pertinente, uma boa leitura.

Autora: Rossana Appolloni
Origem: Recebido para crítica

Sem comentários:

Publicar um comentário