terça-feira, 10 de julho de 2012

Nymphea (Luísa Demétrio Raposo)

Poesia e erotismo são os elementos essenciais deste conjunto de pequenos textos em que um estilo de escrita elaborado e peculiar se conjuga com a construção de imagens ora sombrias, ora enigmáticas, ora ainda chocantes pelo contraste entre o que é insinuado de forma ambígua e o que é dito directamente. Da maioria dos textos, a atracção e a sensualidade destacam-se como temas principais, aos quais se juntam, como elementos complementares, desejo e rejeição, abandono e obsessão, a ânsia de alcançar e a conquista do desejado. O resultado é um livro em que, apesar do tema comum, cada texto é uma surpresa.
Há, ao longo de toda a leitura, um misto de estranheza e de envolvência, causada, em grande medida, pelas particularidades da escrita. As imagens são complexas, elaboradas, evocadas através de jogos de palavras e de cenários que mudam com a mesma facilidade de um sonho. Há algo de onírico na forma como os momentos contidos em cada texto são descritos, com ânsias e emoções como ponto central, mas explorados de uma forma invulgar. Além disso, ao contraste das imagens junta-se o contraste das palavras, o choque entre a linguagem poética de um momento que logo dá lugar a uma expressão mais crua, recorrendo, por vezes, ao vernáculo para tornar mais nítida a imagem que apresenta.
Não há propriamente uma linha de acontecimentos comum aos textos, ou sequer uma narrativa concreta em cada texto. É de ânsias, de emoções e de desejos que tratam os textos deste livro e, são, portanto estes os elementos que surgem das imagens evocadas. E, mais uma vez, importa referir a escrita, em que a construção das imagens através de jogos e alterações de palavras, contribui para a sensação de diferença que parece caracterizar cada texto. Há momentos, é certo, em que a estranheza se sobrepõe ao restante, em parte também devido a algumas gralhas, principalmente de acentuação. Ainda assim, o resultado global é bastante interessante e há alguns textos, particularmente entre os mais enigmáticos, que se revelam particularmente marcantes.
Trata-se, portanto, de uma leitura cativante, ainda que com algo de estranheza, e que surpreende pelas imagens inesperadas e pelas particularidades da linguagem com que estas são construídas. Interessante e surpreendente... Gostei.

1 comentário:

  1. Muito obrigada, Carla, pela leitura e pela analise do meu livro, NYMPHEA...

    ResponderEliminar