quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Tormento (Lauren Kate)

Mais uma vez, tudo muda na vida de Lucinda Price. Protagonista de um romance repetido ao longo de inúmeras vidas, o seu papel num futuro que se avizinha tormentoso é algo que mal consegue vislumbrar. Os que, supostamente, a tentam proteger, não apresentam quaisquer explicações e esperam simplesmente ser obedecidos com o argumento de que é "para o seu bem". E, no novo ambiente do colégio de Shoreline, longe de um amor que, apesar de eterno, leva Luce a questionar muitas coisas, a impressão de que há algo mais que não lhe estão a dizer torna-se cada vez mais certa.
Escrita simples e uma boa medida de emoção são alguns dos pontos fortes deste livro que, dando continuidade aos acontecimentos de Anjo Caído, apresenta também algumas mudanças. Novos inimigos, um ambiente central bastante diferente do do livro anterior e uma aprendizagem mais focada no sobrenatural surgem como pano de fundo para um maior crescimento de Luce. E há dois elementos que se destacam nesta evolução: primeiro, todo o desenvolvimento em torno dos Anunciadores, do que representam e do que podem significar para alguém como Luce; segundo, e principalmente, a convivência com outras pessoas que conseguem cativar o coração da protagonista, em contraste com o romance supostamente destinado a acontecer, mas que parece antes desencadear mais e mais conflitos, levam a que Luce ganhe uma nova perspectiva da sua vida e do mundo que a rodeia.
O que me leva a Daniel. Se é certo que as circunstâncias são complexas e que o comportamento de Daniel ao longo da narrativa serve um objectivo - o de manter o mistério em redor de Luce e do seu verdadeiro papel em toda a guerra dos sobrenaturais - também é verdade que a sua posição dificulta que se crie qualquer empatia. Na sua atitude super-protectora e algo dominante, Daniel acaba por opor aos momentos mais emotivos uma atitude algo revoltante de quem espera ser obedecido apenas porque as suas intenções o justificam (mantendo, ainda assim, tudo o que sabe e quais as razões que o movem no mais absoluto segredo). Claro que isto serve também para o crescimento de Luce: ao sentir-se menosprezada e ignorada, acabará por descobrir o caminho para tomar as suas próprias decisões. Fica, contudo, destes momentos a impressão de que o amor no centro da narrativa não é tão  claro quanto seria de esperar.
Ainda de referir a forma como tudo termina. Deixando, como seria de prever, muitas perguntas sem resposta acerca da guerra entre anjos e demónios, bem como muitos novos aspectos cujas verdadeiras dimensões são apenas vagamente abordadas, o final tem, ainda assim, bastante impacto, pela possibilidade de um novo ciclo que se insinua na escolha de Luce, escolha que reflecte também o crescimento - e a determinação de ditar as suas próprias regras - que, lentamente, se foi desenvolvendo ao longo deste livro.
Cativante principalmente pelo desenvolvimento de aspectos como os Anunciadores, bem como pelo mistério que se vai tornando mais e mais estranho em torno de Luce, Tormento marca principalmente pelo crescimento da protagonista e pelos novos elementos sobrenaturais a surgir. Fica, portanto, a curiosidade em saber o que virá depois. 

2 comentários:

  1. Também gostei muito dos Anunciadores, quanto ao resto esperava mais deste livro. Boas festas**

    ResponderEliminar