quinta-feira, 19 de julho de 2018

Deixar Ir (David R. Hawkins)

Às vezes, a vida parece estar dominada por sentimentos negativos: ira, medo, culpa... E superar o peso desses sentimentos parece algo inatingível - ou, pelo menos, só ao alcance de uns poucos iluminados. Mas, segundo este livro, não será bem assim. O primeiro passo para lidar com a negatividade é deixar ir os sentimentos negativos. E os resultados podem ser espantosos, na estabilidade mental... e talvez até para além dela.
Fundindo espiritualidade e auto-ajuda, este é um livro capaz de despertar impressões bastante distintas. Por um lado, abrange muitas possibilidades, não seguindo um método de normas e passos estritos, mas antes uma possível evolução a um ritmo pessoal. Por outro, como todos os métodos, parece abranger possibilidades fáceis de vislumbrar e outras que implicam provavelmente uma certa medida de crença. Ainda assim, o primeiro aspecto a destacar-se é que, apesar de abranger um método vasto e complexo, é possível retirar pontos positivos quer se sigam todas as orientações, quer se escolha apenas aquilo que mais parece encaixar com as crenças e experiências de cada uma. Até porque a escolha é um dos elementos essenciais deste livro.
Outro aspecto que surpreende é o contraste entre a simplicidade da base - deixar simplesmente ir os sentimentos negativos - e a abrangência e complexidade da obra construída à sua volta. Há uma análise aprofundada de todos os elementos, o que torna a leitura mais pausada e exige mais tempo de assimilação, mas permite também ver um todo mais vasto. Além disso, ao abordar diferentes áreas e possibilidades, sai reforçada a possibilidade de retirar partes do todo, beneficiando do que faz sentido durante a leitura independentemente dos sentimentos ambíguos que outros elementos possam despertar.
E esses sentimentos prendem-se essencialmente com o limite das possibilidades: se é fácil entender que uma forma de estar menos negativa resultará num maior bem-estar mental e emocional, a transposição para elementos da saúde física acaba por deixar algumas questões. O conceito de autocura, ou de cura pela fé, implica necessariamente uma dose de crença, o que deixa algumas dúvidas acerca dos reais riscos e possibilidades desse tipo de abordagem. Trata-se, ainda assim, de apenas uma das facetas de um todo bastante mais vasto. E, mesmo de um ponto de vista algo céptico, são mais as coisas positivas a retirar da leitura.
Fica, por isso, essencialmente a impressão de uma leitura interessante e com uma visão bastante abrangente das possíveis consequências de olhar a vida de uma forma menos negativa. Uma obra vasta, mas de leitura agradável, que talvez não apresente todas as respostas, mas de onde é possível, ainda assim, tirar muitos pontos positivos. E uma nova perspectiva, claro. 

Título: Deixar Ir
Autor: David R. Hawkins
Origem: Recebido para crítica

Sem comentários:

Enviar um comentário